Home » Notícias » Tabapuã começa a superar zebuínos tradicionais em provas da ABCZ

Tabapuã começa a superar zebuínos tradicionais em provas da ABCZ

Compartilhe isto:

Júlio Laure: “O Tabapuã já está superando outros zebuínos em programas de melhoramento genético da ABCZ”

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Criadores do Tabapuã, Júlio Laure, a raça, – proporcionalmente, – vem superando zebuínos tradicionais na participação de provas do PNAT – Programa Nacional de Avaliação de Touros Jovens e PMGZ – Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos, criados pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebu em Uberaba. Segundo Júlio, o Tabapuã é o que mais participa desses programas e com resultados altamente positivos.

Em se tratando de registros genealógicos junto à ABCZ, a raça Tabapuã é a segunda com maior índice. Entre os zebuínos, ela só perde para o Nelore. Para o presidente da ABCT, isso demonstra claramente que o Tabapuã vem crescendo de forma acelerada em termos de genética e números de criadores.

Júlio Laure, – que esteve recentemente em Goiás prestigiando a 54ª Exposição de Goiânia, – disse que a médio prazo, a entidade que dirige vai iniciar uma campanha bastante agressiva em termos de marketing, divulgando a raça Tabapuã no Norte de Goiás bem como nos Estados do Tocantins, Pará, Roraima, Rondônia e outros. Entende ele que essas regiões estão crescendo muito em se tratando de rebanhos de corte e a genética do Tabapuã pode contribuir muito com tais projetos. “Trata-se de um mercado novo que devemos aproveitar e temos genética para incrementar a pecuária no Norte do País,”– disse Laure.

Acrescentou o presidente da ABCT que as pesquisas científicas sobre a raça Tabapuã continuarão focando principalmente a genética de produção para agregar valores. Um dos pontos positivos da raça Tabapuã é que ela contempla também, além dos produtores de carne, os pequenos e médios produtores de leite pois os touros colocados na vacada leiteira produzem machos com vocação frigorífica e fêmeas que podem produzir também bons volumes de leite. Essa prática vem contemplar os produtores de leite que até então tinham problemas com o plantel leiteiro cujos bezerros machos não atingiam médias de crescimento dentro das expectativas das indústrias frigoríficas e eram descartados.

Quadro de associados

Júlio Laure disse que a ABCT e suas regionais em vários Estados da Federação, estão aumentando o número de pecuaristas associados que estão iniciando a criação de Tabapuã ou abrindo seus planteis, principalmente de Nelore, para essa raça criando o Tabanel. Para Júlio Laure, os resultados são altamente positivos pois não basta aumentar os números de associados mas mantê-los e isso vem sendo conseguido por força dos resultados que as raça proporciona.

Sobre o Estado de Goiás em relação ao Tabapuã, Júlio Laure disse que aqui existe o maior rebanho e isso deve ser aplaudido pois os criadores goianos estão bastante empenhados em melhorar cada vez vais seus rebanhos ao ponto de chamarem as atenções de pecuaristas de vários Estados que buscam aqui, animais de alta linhagem em Leilões ou outros tipos de compras. Um exemplo disso foi o 3º Leilão Doadoras do Futuro e 23º da Associação Goiana do Tabapuã na 54ª Expo-Goiânia que foi prestigiado por dezenas de criadores vindos do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas e outros Estados e aqui realizaram aquisições significativas.

Imprensa – AGT

 

Compartilhe isto: